Notícias FENTECT

home » Notícias FENTECT
6 de Agosto de 2019 às 19:18

Contradições do governo mostram que só os trabalhadores podem barrar a privatização dos Correios

Durante um debate realizado na manhã desta terça-feira (06), o ministro Marcos Pontes, responsável pela pasta de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicação afirmou que ainda não existe plano de privatização dos Correios. No entanto, em um evento em São Paulo, o presidente Jair Bolsonaro mais uma vez defendeu que a ECT deve mesmo ser privatizada.

Proposto pela Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados, os participantes buscaram debater os impactos da privatização e alternativas que fortaleçam a empresa para que não seja necessário o seu desmonte. A presidenta da Comissão, deputada Professora Marcivânia (PC do B-AP) chegou inclusive a propor um Grupo de Trabalho para debater o fortalecimento da ECT.

Representando a FENTECT, o secretário geral José Rivaldo da Silva foi categórico: a privatização será uma tragédia para a população brasileira, pois vai reduzir o atendimento e o acesso de quem realmente precisa dos serviços dos Correios. A secretária da Mulher e também presidenta do SINTECT-DF, Amanda Corcino, lembrou casos de privatização dos Correios em outros países que estão sendo revertidos, dada a importância logística dessas empresas. Amanda também defendeu o monopólio do serviço postal como forma de proteger a estrutura dos Correios e manter sua função social.

 

O governo da antipolítica

Se a política passa essencialmente pelo diálogo, o governo de Bolsonaro é a antipolítica, pois se recusa a dialogar e ainda mente de maneira descarada. As constantes polêmicas, sejam ou não para desviar o foco de suas ações, evidenciam a sua forma de agir: confundindo, enganando e desprezando aqueles que não o beneficiam de alguma forma.

Bolsonaro escolheu governar para os empresários, banqueiros e a elite transnacional, representada e alinhada à política econômica dos EUA. Dessa maneira, não há como confiar em qualquer palavra dita pelo presidente e seus aliados, pois todos estão comprometidos com uma agenda contra o povo trabalhador brasileiro.

Sobre a privatização dos Correios e demais estatais estratégicas para o país, também não haverá diálogo. A intenção é mesmo entregar tudo ao capital privado o quanto antes, nem que para isso tenham que mentir, ocultar dados, desmontar áreas que estudam seriamente os benefícios e prejuízos do desmonte do patrimônio público.

A única coisa que pode parar este governo é a mobilização popular, a começar pelos trabalhadores organizados. Por isso é dever de todo trabalhador se manter atento aos ataques que estão sendo promovidos. Logo depois da aprovação da reforma da previdência na Câmara, parlamentares da base do governo conseguiram passar uma nova reforma trabalhista que ataca mais 36 artigos da CLT. Enquanto defende patrões, o presidente continua incapaz de responder aos verdadeiros problemas do povo. É hora de mostrar de quem realmente emana o poder.

 


Outras Notícias

Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas dos Correios e Similares - FENTECT

SDS, Ed. Venâncio V, Bloco R, loja 60 - Brasília/DF - CEP:70393-900 - Fone/Fax:(61) 3323-8810 - fentect@fentect.org.br